Resenha: Aline Barros – Acenda a Sua Luz

Lançamento: 23/01/2017
Gênero: Pop, Gospel
Gravadora: MK Music
Produtor: Ruben di Souza.

Após quatro anos sem lançar um álbum de inéditas, Aline Barros voltou a ativa com o disco “Acenda a Sua Luz”. Lançado em 23 de janeiro de 2017, o álbum contém 13 faixas e produção de Ruben di Souza. Aline é uma das maiores cantores gospel do país, com mais de 20 anos de carreira, 15 milhões de discos vendidos e 6 Grammy Latinos no currículo. A parceria com Ruben di Souza começou no seu último disco, “Graça” (2013). Foi um álbum mediano que não manteve a excelência de “Extraordinário Amor de Deus” (2011), porém, rendeu o sexto Grammy da cantora. “Ascenda Sua Luz” é talvez o disco mais pop que Aline Barros já lançou até hoje. Para começar o repertório, a cantora fala sobre o sacrifício de Jesus na cruz durante a faixa “Depois da Cruz”.

É uma música que mostra qual o propósito por trás de todo o álbum. “Como Ele Venceu / Eu também venci / Ele subiu ao céu / Eu também vou subir”, ela canta aqui. Conforme a canção progride, os arranjos ganham cada vez mais espaço e casam bem com os vocais emocionantes. Na faixa seguinte, “Igual a Ti Não Há”, a cantora traz um ritmo mais dançante e grudento. Sua letra fala sobre os milagres que podemos conseguir utilizando a nossa fé. Apesar da boa produção, muitas vezes o disco é carregada por instrumentais ou vocais previsíveis, como o de “Mergulhar”, “Valente” e “A Fé em Ti”. Enquanto “Corre” mantém o ritmo dançante da segunda faixa, “Tua Presença é o Céu Pra Mim” impressiona por sua produção global. É uma música muito linda e eficaz, com letras, arranjos e vocais belíssimos.

Ademais, possui uma pequena influências das baladas pop dos anos 90. Em seguida, “Grande e Simples” fala sobre a simplicidade e grandeza de Jesus Cristo. É uma canção que começa meio desanimada, mas ganha forças durante o refrão. Também co-escrita pelo Pr. Lucas, “Paulo e Silas” fornece notas altíssimas da cantora. É uma música mais moderna e com toques de violino, embora não possua uma letra tão inspiradora. Por outro lado, “Encontro Perfeito” é um pouco mais tocante e carismática. Apesar da produção pouco diversificada, é uma boa canção. “Ensina-me a Contar” apresenta violão, bateria e teclados, mas peca pelo tom vocal de Aline Barros. Sem dúvida, possui um dos desempenhos vocais mais irritantes de todo o álbum.

Embora contenha os mesmos escritores da faixa anterior, “Andar Sobre as Águas” oferece uma performance mais satisfatória e agradável. A faixa de encerramento, “Outro Não Há”, consegue prender mais a atenção, pois é melhor desenvolvida e oferece instrumentos mais variados. Ela consegue fechar o repertório com chave de ouro, depois de uma fraca sequência. É uma canção pop, com arranjos e cordas mais caprichadas. Além disso, possui um ritmo adorável, boas vibrações e ainda é bem dançante. Assim como “Graça”, esse disco não mostra nenhuma evolução de Aline Barros. Seu repertório é um pouco monótomo, cheio de faixas fillers e vocais demasiadamente cansativos. Aline Barros já tem uma carreira consagrada e não tem mais nada a provar. Entretanto, todos sempre costumam esperar projetos mais elaborados por parte dela, algo que não aconteceu em “Ascenda Sua Luz”.

Favorite Tracks: “Depois da Cruz”, “Tua Presenca é o Céu pra Mim” e “Outro Não Há”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.