Resenha: A$AP Mob – Cozy Tapes Vol. 2: Too Cozy

Lançamento: 25/08/2017
Gênero: Hip-Hop, Trap
Gravadora: Polo Grounds Music / RCA Records
Produtores: 5 Star Rico, Djo Watt, Dun Deal, Franchise, Frank Dukes, Hector Delgado, Hit-Boy, Medi BPM, Michael Uzowuru, P on the Boards, Pi’erre Bourne, Pyroman, SdotFire, Slade da Monsta, Sly C, Southside, Vegyn e Zoneout Worldwide.

A$AP Mob é um grupo de hip-hop formado em 2006, em Harlem, Nova York, pelos membros ASAP Yams, ASAP Bari e ASAP Illz. Basicamente, o grupo é composto por artistas com interesses semelhantes relacionados a música, moda, estilo e arte. A maioria dos membros são de Nova York e carregam o apelido “ASAP”, como ASAP Rocky, ASAP Ferg, ASAP Nast e ASAP Twelvyy. Apresentando vinte e quatro artistas diferentes, o segundo álbum do coletivo chama-se “Cozy Tapes Vol. 2: Too Cozy”. Ele possui dezessete faixas, incluindo três esquetes, com duração de 51 minutos no total. Entre os diversos colaboradores do projeto, temos Big Sean, Quavo, ScHoolboy Q, Frank Ocean, Jaden Smith, Gucci Mane, Lil Yachty e Lil Uzi Vert. Enquanto os membros do A$AP Mob estão presentes em todas as faixas, eles conseguem dar espaço para os colaboradores. Apesar de ScHoolboy Q ser um dos maiores nomes que aparecem no álbum, o que faz o registro destacar-se são os jovens talentos. Jaden Smith, por exemplo, aparece quase irreconhecível no refrão da escura “Perry Aye”, uma das faixas mais fortes do álbum.

Uma música carregada de referências estrangeiras, com um título inspirado pela marca francesa Perrier e o estilista americano Perry Ellis. A voz de Smith aparece distorcida, enquanto ele descreve o seu estilo de vida caro com menções à Cartier, Ferrari e Dom Pérignon. Curtos versos de A$AP Rocky, Playboi Carti e A$AP Nast completam a sombria “Perry Aye”. Mais tarde, durante a faixa “Walk on Water”, Playboi Carti faz a sua melhor impressão. “Vadia, eu ando / Ando em cima da água”, ele se gaba com convicção no refrão assassino. A maior parte do “Cozy Tapes Vol. 2: Too Cozy” é enraizado no equilíbrio entre a produção clássica e moderna do rap. Os tambores trap e a progressão de acordes de “Get the Bag” funciona praticamente como um calmante para as outras canções que a cercam. Enquanto “Blowin’ Minds (Skateboard)” brinca com sons de vídeo-gama, “BYF” possui algumas cordas de bandolim infiltradas na sua composição. Dito isto, o restante do repertório pouco varia em relação ao som trap do A$AP Mob. Embora algumas batidas sejam interessantes, não há nada além disso ou qualquer outra coisa para empurrar o hip-hop do coletivo para frente.

À medida que você ouve o álbum, fica claro que “Cozy Tapes Vol. 2: Too Cozy” não foi feito para aclamação da crítica. Existem alguns elementos que parecem melhores do que seu antecessor, “Cozy Tapes Vol. 1: Friends” (2016), especialmente quando trata-se do estilo de produção contemporâneo e exposição de jovens rappers. Entretanto, não dá para negar que o primeiro álbum do grupo é muito melhor, por qualquer meio. Portanto, em outras palavras, “Cozy Tapes Vol. 2: Too Cozy” fica muito aquém do seu antecessor. Uma coisa que deve ser mencionada é a falta de qualquer substância real. Nem os números mais sólidos do “Cozy Tapes Vol. 2: Too Cozy” conseguem ser do mesmo calibre das faixas do “Cozy Tapes Vol. 1: Friends”. O álbum é essencialmente preenchido com nada além do que a produção de A$AP Mob em meio ao seu aconchegante estilo de vida. A falta de substância lírica, no entanto, era de se esperar, já que o álbum foi apenas feito para as festas e boates americinas. A química entre o coletivo e a enorme quantidade de convidados é boa, pois seus versos e refrões misturam-se com grande precisão. Entretanto, o nível do conteúdo supérfluo pode, sem dúvida, afetar a longevidade do álbum.

Favorite Tracks: “Perry Aye (feat. Playboi Carti & Jaden Smith), “Walk on Water (feat. Playboi Carti)” e “RAF (feat. Playboi Carti, Quavo, Lil Uzi Vert e Frank Ocean)”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.