Best New Track: Vince Staples – Big Fish

Lançamento: 18/05/2017
Gênero: Hip-Hop, G-Funk
Produtor: Christian Rich
Escritores: Vincent Staples, Kehinde Hassan, Taiwo Hassan e Jordan Michael Houston.

“Big Fish” de Vince Staples foi lançada em 18 de maio de 2017 como segundo single do álbum “Big Fish Theory”. É uma das músicas mais acessíveis e socialmente conscientes do rapper. Enquanto Vince Staples fornece seu fluxo reconhecível, o refrão apresenta Juicy J. A entrega de Staples nessa música adiciona um grande poder às batidas. Mas, além das batidas impressionantes, a produção também é muito grande. Para este single, o rapper californiano recrutou o produtor Christian Rich, enquanto os irmãos Taiwo e Kehinde Hassan participaram da escrita. Esta faixa representa a transformação de Vince Staples, que nasceu pobre, mas hoje é um dos maiores rappers da atualidade. “Eu estava acordado tarde da noite balançando / Contanto centenas de milhares”, Juicy J bate no verso de abertura. “Big Fish” é um single extremamente refrescante, com amostras e produção de grande padrão. Sem dúvida, há um tema aquático muito forte que atravessa a música.

É uma canção mais convencionalmente divertida do que o primeiro single, “BagBak”. Ela reflete a ideia de que Vince Staples tornou-se um grande peixe em um pequeno aquário. “Outra história de um jovem negro americano / Tentando acabar com esse atolamento, merda / Saco nas costas, me deixe ter planos para minha banda / Se você me odeia não aperte minha mão”, ele rima no primeiro verso. O sucesso mudou a vida dele, mas trouxe outro conjunto de problemas, algo ilustrado no vídeo pelos tubarões que cercam o seu barco. “Quer ser o chefe então você tem que pagar o custo / Aprendi com o Dogg, eu sou de Long Beach”, ele recita nas últimas linhas. O gancho do Juicy J é particularmente atraente e ajuda a criar uma das faixas mais radiofônicas de Staples até o momento. “Big Fish” é sem dúvida um destaque imenso. O gancho infeccioso de Juicy J combinou perfeitamente com o rap afiado de Staples e a batida esquelética. É uma canção de hip-hop padrão, no entanto, ostenta uma batida ocasionalmente distorcida e viciante.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.