Best New Track: Kendrick Lamar – DNA.

Lançamento: 30/05/2017
Gênero: Hip-Hop
Produtor: Mike Will Made It
Escritores: Kendrick Duckworth e Michael Williams II.

Depois do grande sucesso de “HUMBLE.”, Kendrick Lamar lançou o seu novo álbum, “DAMN.”, e rapidamente foi para o topo dos serviços de streaming. Algumas semanas depois, o rapper lançou “DNA.” como segundo single do registro. Uma fatia de hip-hop impetuosa, bombástica e perfeita produzida por Mike Will Made It. Uma canção distorcida, com fluxo mais agressivo, batidas trap e chimbais em expansão. Além disso, contém uma amostra interessante de “Gimme Some Ganja” (Rick James) jogada criativamente na mistura. Aqui, Kendrick volta à verdadeira essência do hip-hop, um meio para contar histórias em vez de se concentrar em carros, drogas, dinheiro e álcool. Sem dúvida, nesta canção ele conta uma história importante. Kendrick Lamar fala sobre como o rap é mal interpretado pela mídia convencional e também por outros artistas do meio. Ele aprofunda-se nesse tema e faz isso de uma forma brilhante. Suas rimas e fluxo são impressionantes e são colocados sobre uma batida fornecida por Mike Will Made It. Uma música de alta energia que aborda a apropriação cultural e outras questões sociais.

A pista começa triunfante, conforme Lamar diz: “Eu tenho, eu tenho, eu tenho, eu tenho / Lealdade, tenho realeza no meu DNA / Um pedaço de cocaína, tenho guerra e paz no meu DNA / Eu tenho poder, veneno, dor e alegria no meu DNA / Eu tenho pressa também, ambição, fluxo no meu DNA”. Nas primeiras linhas ouvimos Kendrick defendendo a herança negra e a cultura que o transformou em quem ele é, enquanto mais tarde descarta certos estereótipos do rap (“Sexo, dinheiro, assassinato – o nosso DNA”). Apresentando o conhecimento de si mesmo, Kendrick entende de onde seus antepassados ​​vieram. A instrumentação toma um assento por trás, uma vez que as rimas e o fluxo estão no centro do palco. Antes de outra amostra da Fox News, ele ainda declara que “o hip hop causou mais danos aos jovens afro-americanos do que o racismo nos últimos anos”. A batida então muda conforme Kendrick volta a sua atenção para Geraldo Rivera, correspondente da Fox News. Em suma, “DNA.” é certamente uma das melhores e mais poderosas faixas do seu novo álbum.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.