Best New Music: Janelle Monáe – Pynk (feat. Grimes)

Lançamento: 10/04/2018
Gênero: R&B, Eletropop, Pop-Punk
Produtores: Nate Wonder, Wynne Bennett e Chuck Lightning
Escritores: Janelle Robinson, Claire Boucher, Taylor Parks, Nathanial Irvin III, Charles Joseph II, Wynne Bennett, Steven Tyler, Glen Ballard e Richard Goodmna.

Onovo single da Janelle Monáe, “Pynk”, é um dueto com a canadense Grimes e fará parte do seu terceiro álbum de estúdio, “Dirty Computer”. Depois de lançar a excelente “Make Me Feel” e “Django Jane”, Monáe optou por criar algo um pouco mais experimental. Além da presença de Grimes, este novo single possui amostras de “Pink” da banda Aerosmith, com os membros da banda sendo creditados como co-escritores. Assim como “Django Jane”, esta música mantém o foco no emponderamento feminino. Janelle Monáe descreveu esta canção como “uma celebração da criação, amor próprio, sexualidade e poder da buceta”. O videoclipe, dirigido por Emma Westenberg, apresenta a atriz Tessa Thompson juntamente com um grupo de mulheres dançando no deserto. O principal foco do vídeo é mostrar o apreço que as mulheres tem pela vagina. A própria capa do single é um indício, uma vez que Janelle Monáe está com uma calça de abas largas que lembra uma vagina. Usando a cor rosa como inspiração, a cantora disserta sobre feminilidade e forças das mulheres. Depois de colaborar com Grimes em “Venus Fly”, Monáe e ela juntaram forças novamente numa estética pop infecciosa.

Produzida por Wynne Bennett, “Pynk” contém batidas de R&B, riffs de guitarra elétrica, sintetizadores pulsantes, estalar de dedos e um ritmo misterioso. “Rosa como o seu interior, amor / Rosa por trás de todas as portas, loucura / Rosa como a língua que vai descendo, talvez / Rosa como o paraíso encontrado”, ela canta na introdução. Provavelmente, você não vai gostar dessa música na primeira escuta. Porém, depois que ouvir mais vezes, sua vibração experimental começará a ficar presa na sua cabeça. Embora não seja tão forte quanto “Make Me Feel”, apresenta um estilo de produção muito interessante. Um dos principais componentes de “Pynk” é o maravilhoso riff de guitarra no refrão. Ele dá uma camada extra e necessária para a música, uma vez que os versos são um pouco monótonos. Além disso, a guitarra elétrica injeta um ar psicodélico e punk no refrão, conforme Janelle Monáe e Grimes cantam: “Ah, sim, alguns gostam disso / Ah, ah, alguns gostam disso / Ah, sim, alguns gostam / Porque, garoto, tudo bem / Se você tem o azul / Nós temos o rosa”. Delicada, encantadora e caprichosa, essa música é um hino para as mulheres!

São Paulo, 22 anos, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas e séries. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.