Best New Music: The 1975 – Love It If We Made It

Lançamento: 20/07/2018
Gênero: Indie Rock, Indie Pop
Produtores: Matthew Healy e George Daniel
Compositores: Matthew Healy, Ross MacDonald, Adam Hann e George Daniel.

Abanda The 1975 saiu recentemente de um hiato com a promessa de lançar dois novos discos nos próximos meses. No final de maio, eles lançaram “Give Yourself Try” como primeiro single do álbum “A Brief Inquiry into Online Relationships”. Passaram-se quase dois meses e a banda já estava pronta para compartilhar um novo single. Lançado em 20 de julho, “Love It If We Made It” é um intenso e apaixonado protesto político. Este single é praticamente uma revolta contra o atual clima cultural e político. É um despertar lírico focado no impacto que a tecnologia tem sobre a sociedade. Uma expansão anti-guerra e um hino feveroso que tenta chamar a atenção dos ouvintes. “Love It If We Made It” começa lentamente em silêncio, e só atinge o público na marca dos 24 segundos. Nesse exato momento os vocais explodem de forma pesada. A voz de Matthew Healy está incrivelmente tensa, enquanto ele canta palavras iniciais: “Nós estamos transando em um carro, usando heroína / Dizendo coisas controversas e que se dane isso”. Uma metáfora ideal para uma música tão emotiva. Aqui, Healy está centrado em torno dos vícios da humanidade, apontando o dedo para aspectos negativos da sociedade. “Love It If We Made It” realmente se destaca por captar a tensão que permeia os tempos atuais. The 1975 encontrou uma plataforma para sua voz artística e resolveu falar sobre os maiores problemas dos nossos dias. Inicialmente, um conjunto de acordes em staccato e notas de piano conduzem a música.

Em nenhum momento Healy hesita, tanto que evoca eventos específicos, como a brutalidade sofrida por homens negros (“Vendendo melanina e depois sufocando os negros”) e a morte de Lil Peep por overdose de drogas (“Descanse em paz Lil Peep”). O impacto da tecnologia nos relacionamentos é um dos temas centrais do próximo álbum da banda, mas além das redes sociais, Healy também levanta uma série de outras questões, desde combustíveis fósseis até a overdose de drogas. O terceiro verso é dedicado inteiramente ao comportamento racista e xenofóbico de Donald Trump. Isso inclui sua resposta ao controverso tweet de Kanye West para o atual presidente dos Estados Unidos. Durante a maior parte da música, Healy não condena qualquer pessoa em particular, mas atinge várias sem apontar para elas de forma nua e crua. Apesar da energia otimista da instrumentação, o desempenho provocativo das letras é essencial. Resumidamente, The 1975 reflete sobre a mudança do clima político, social e tecnológico. O ritmo, por sua vez, é eletrônico, minimalista e surpreendentemente elegante. Embora seja formado apenas por uma frase, o refrão brilha por causa da entrega emotiva do Healy. E em cerca de dois minutos, a canção consegue se tornar ainda melhor. Melódicos riffs de guitarra, um baixo funky, elementos de disco e crescentes corais enfeitam a música de uma forma maravilhosa. Essa mudança de tom causa uma sensação verdadeiramente cativante. É a parte de maior destaque da música! “Love It If We Made It” é uma faixa incrivelmente sólida que desafiou qualquer expectativas dos fãs e público em geral.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.