Best New Music: Snail Mail – Pristine

Lançamento: 21/03/2018
Gênero: Indie rock
Produtor: Jake Aron
Compositor: Lindsey Jordan.

Snail Mail é o projeto solo da jovem cantora/guitarrista americana Lindsey Jordan. Em 2015, ela começou a tocar suas músicas ao vivo com uma banda e lançou um EP em 2016. Enquanto isso, o primeiro capítulo do seu primeiro álbum, chamado “Pristine”, é um número de alta energia que fornece letras dolorosamente honestas e um sentimentalismo irresistível. Ela explora a dificuldade de ter alguém em sua vida quando ele não desempenha mais o mesmo papel. É uma música que aperfeiçoa o som de indie rock que ela iniciou com o “Habit EP” (2016). Sua vulnerabilidade e incerteza são tão reconfortantes quanto cativantes. “Pristine” é melódica em seus acordes de abertura, mas ao invés de precipitar-se com um grande refrão, Snail Mail desenrola um conto de auto-dúvida. Através de seu amor não correspondido, ela encontra consolo, aproveitando o poder de seus sentimentos e orgulhosamente expressando-os, mesmo que eles não possam ser devolvidos: “Você não gosta de mim por mim? / Existe alguma sensação melhor do que ficar limpo? / E eu me conheço e nunca amarei mais ninguém / Eu não vou amar mais ninguém / Eu nunca amarei mais ninguém”. Mas é o fim que realmente nos dá um soco no estômago, quando as guitarras diminuem a velocidade. “Para quem você muda? / Quem é o topo do seu mundo? / E fora de todos / Quem é o seu tipo de garota?”, ela canta.

Jordan aprendeu a tocar guitarra aos 5 anos, e esses princípios de composição podem ser ouvidos na paciência que ela mostra nos surpreendentes acordes. Mas felizmente ela não se torna auto-indulgente ou se esconde dentro de seu estilo de tocar. Ela sempre está no centro do palco, professando suas opiniões com honestidade e compostura. Os vocais estão na vanguarda da música, enquanto a guitarra e a bateria se misturam para fornecer a base para sua voz. A ponte é o clímax de “Pristine”, e a tensão começa a se construir quando Jordan questiona e confronta o seu amor. Ela é implacável ao professar seus sentimentos. Embora lide com assuntos que qualquer ouvinte pode se relacionar, “Pristine” nunca se torna liricamente banal. A natureza íntima das letras é perfeitamente complementada pela complexidade sutil da composição e produção. Mas apesar das contemplações da cantora sobre o amor não correspondido, essa canção não é totalmente melancólica. Sobre os dedilhados violentos da guitarra, ela evita qualquer excesso vocal, cantando com uma voz plana e melodiosa que combina bem com o restante da música. É um suspiro grandioso, agridoce e cativante. Seus vocais são fortes e determinados, e os riffs de guitarra completamente centralizados. Por mais que a adolescência possa parecer emocionalmente difícil, Lindsey Jordan parece ter encontrado o seu caminho. “Pristine” é o primeiro sabor do “Lush”, que será lançado pelo selo independente Matador Records em junho. É um sinal de que será um dos álbuns de estreia mais empolgantes do ano!

São Paulo, 22 anos, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas e séries. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.