Best New Music: Pusha T – Infrared

Lançamento: 25/05/2018
Gênero: Hip-Hop
Produtor: Kanye West
Compositores: Terrence Thornton, Kanye West, Robert Manchurian, Shawn Carter e Mark James.

Na última faixa do novo disco do rapper Pusha T, chamada “Infrared”, ele chora a morte de um amigo, reinicia sua longa rivalidade com Drake e faz uso do talento de Kanye West na produção. É uma faixa infame que revive acusações de ghostwriter que Meek Mill uma vez cobrou do Drake e condena o estilo pop do rapper de Toronto. Musicalmente, as batidas de Kanye West exalam sutileza, em um momento de pura extravagância das letras, permitindo que Pusha T respire. “A escrita lírica é igual a dos vendedores do Trump / A grande questão é como os russos fizeram / Foi escrito como Nas, mas veio de Quentin”, essas foram as linhas que provocaram tumulto na internet e colocaram os holofotes de volta nas alegações de ghostwriting que assombram o Drake. Comparar o uso que Drake faz de Quentin Miller como escritor fantasma com o presidente Donald Trump é um pouco hilário. Tendo Drake como alvo principal e alguns shades para Lil Wayne e Birdman em um único verso ininterrupto, “Infrared” já pode ser considerada uma das faixas mais poderosas do “DAYTONA” (2018). A canção entra, totalmente livre de refrões por dois minutos, e transforma a temperatura do álbum. Apesar de não ser identificado, ficou claro que se trata de uma diss-track para o Drake.

Pusha T é muito destemido e não economiza nos tiros em Birdman (“À mercê de um jogo em que a cultura está faltando / Quando o CEO fica cego pelo brilho, é diferente”) e nos rumores de que Drake usa um escritor fantasma em seu processo de escrita. Os versos mostram que o T está em um bom momento, pois o seu fluxo é ágil e passeia sem grandes esforços em torno da produção. A perfeita batida é formada por tambores de trap, chimbais, uma linha de baixo, sample de “I Want to Make Up” (24-Carat Black) e interpolações com “The Prelude” (Jay-Z). Durante várias linhas, Pusha T demonstra seu rancor e dá sua opinião a respeito de várias coisas. Ele acha que o sucesso só é destinado para rappers que aparecem nas paradas pop: “Lembre-se que Will Smith ganhou o primeiro Grammy?”. E zomba da fama do Lil Wayne, outro rapper que ele nunca perdoou: “Ele vê o que eu vejo quando você vê Wayne em turnê / Flash sem o fogo / Outro rapper multi-platinado preso e não pode se aposentar”. Mas tudo fica mais pesado quando ele coloca sua mira no Drake: “Como você poderia corrigir esses erros? / Quando você nem escreve suas músicas?”. Em “Infrared”, Pusha T mostra sua frustração com uma indústria que ele ironicamente ama. Sobre a batida esquelética, ele traz rivalidades do passado à tona. E quanto tudo está quase acabando, Kanye West insere uma trêmula batida e, pela primeira vez, Pusha T pode soltar o fôlego.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.