Best New Music: Amen Dunes – Blue Rose

Lançamento: 16/02/2018
Gênero: Indie Rock
Produtor: Chris Coady
Compositores: Damon McMahon, Jordi Wheeler e Parker Kindred.

Em 2006, Damon McMahon fundou a banda Amen Dunes, formada por ele, Delicate Steve na guitarra e Parker Kindred na bateria. Seu novo single, “Blue Rose”, foi divulgado em 16 de fevereiro de 2018. Geralmente, suas músicas rejeitam as estruturas mais convencionais. As letras de McMahon são complexas e mais parecem uma poesia. “Deve parar meu pai / Sim, o amor veio sobre mim / Querido, querido, se você quer guerra, então você tem guerra comigo”, ele canta aqui. Um hino sobre seu pai e a identidade masculina. O tamborim é muito cativante e se torna a parte de algo que perdura – um pulso que permanece presente durante toda duração da música. Talvez mais do que qualquer outra música da banda, “Blue Rose” serve como uma prova do talento de Damon McMahon como compositor. Em quatro minutos, ele é capaz de criar uma narrativa poderosa e praticamente universal que, de alguma forma, soa enigmática. Através de sintetizadores suaves, guitarras e a percussão de Chris Coady, McMahon descreve as forças externas que atuam em “Blue Rose” – abordando especificamente o relacionamento com o seu pai ausente.

Mas além do relacionamento familiar desgastado, a música toca em temas como desespero, esperança, sonhos e expectativas. Curiosamente, Damon McMahon não chama atenção por causa de sua voz. Suas letras e entrega fascinante conseguem persuadir qualquer ouvinte. Dito isso, Amen Dunes recompensa o envolvimento deixando a voz de McMahon à deriva entre as linhas de baixo propulsivas e a excelente percussão. “Eu sou a coisa mais ruim e mais chique da cidade”, ele diz cheio de determinação. O poder desta canção é simplesmente incrível. No final da música, McMahon ainda tem tempo para dizer: “Disse que você não era muito homem para mim / Mas você é o único que eu já tive”. É surpreendente como as letras de “Blue Rose” retratam sua fragilidade e vulnerabilidade na mesma medida. Enquanto isso, os vocais suavizam de forma emocional e combinam perfeitamente com a vibe sonhadora que o sintetizador e o tamborim criam. Em suma, esta música possui uma energia narcótica e pode ser considerada a mais incessante que o Amen Dunes já criou até hoje.

São Paulo, 22 anos, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas e séries. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.