Best New Music: A$AP Rocky – Hun43rd

Lançamento: 25/05/2018
Gênero: Hip-Hop Experimental
Produtor: Dev Hynes
Compositores: Rakim Mayers, Devonté Hynes, Hector Delgado, Tupac Shakur, Tyruss Himes, Maurice Shakur, Diron Rivers e Walter Burns.

Um dos maiores maiores destaques do novo álbum do rapper A$AP Rocky é “Hun43rd”, faixa produzida e co-escrita pelo talentoso Devonté Hynes, também conhecido como Blood Orange. Um sermão onde Rocky relembra os dias em que passava a maior parte do seu tempo nas ruas. “Quando é hora de guerra, eu trouxe minhas próprias armas / A diferença é que sou do gueto, mas sou saudável”, ele rima nas primeiras linhas. O trabalho de produção é caracteristicamente sonhador e os vocais dolorosamente frágeis de Dev Hynes se conectam facilmente com à cena de Nova York, cidade natal de Rakim Mayers. “Me diga como vai ser / Seja como eu, me diga como vai ser, como vai ser / Eu tenho uma bola, eu sou um policial, eu vou comprar a loja / Me diga como vai ser”, Hynes canta no refrão. Depois da introdução, que diz repetidamente “Do berço ao túmulo, estou trabalhando”, A$AP Rocky entra com o primeiro verso. Seu rap é extremamente sólido e, auxiliado pela excelente produção, faz de “Hun43rd” uma das faixas mais memoráveis do “TESTING” (2018). Aqui, Rocky reflete sobre o seu crescimento em torno da rua 143 no bairro de Harlem, Nova York.

Seu fluxo pode não ser o mais perspicaz, porém, é resgatado pela produção fantasmagórica de Dev Hynes. “Hun43rd” parece um meio termo entre os dois estilos, além de conter um refrão espacial, elementos dos anos 80 e uma neblina extra. O sample desfigurado de “Cradle to the Grave”, do grupo Thug Life (2Pac, Big Syke, Stretch, Mopreme Shakur, The Rated R e Macadoshis), se encaixou como uma luva. Mas a batida é o que faz as coisas se tornarem tão boas. O ar vintage, a voz estelar do Dev Hynes, o rap de baixa frequência, a ótima percussão, os acordes de sintetizador e o riff de guitarra em loop formaram uma combinação muito boa. Enquanto A$AP Rocky fala sobre os anos de sua formação, ele muda de tom e retarda as coisas frequentemente. É uma verdadeira ode ao Harlem. “Hun43rd” fornece uma experiência auditiva igualmente assustadora e catalisadora, embora não seja uma mudança de paradigma. As mudanças tonais mantém o ouvinte atento a todo momento, enquanto o grupo A$AP Mob encerra a canção gritando: “Ball, ni**a, ball! Ball, ni**a, ball!”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.